Clarim - Livro
Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu
Deputado Bosco mantém-se contra a venda da Codemig
25/04/2018, às 08:24:57

O deputado estadual Bosco informa à população araxaense que mantém firme o seu posicionamento contrário à venda das ações da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Ele reafirma que o seu compromisso é com a população araxaense que tem contestado essa iniciativa.

Bosco lembra que registrou o voto contrário ao Projeto de Lei (PL) 4.827/2017 e acrescenta que também votará contra o PL 4.996/2018 que ainda está em tramitação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). “A Codemig é um grande negócio para o governo de Minas, o atual e os próximos. Por isso, é necessário buscar outra saída para preservar esse bem maior”, destaca. Ele acrescenta que inclusive a divisão da Codemig, com a consequente venda dos ativos da sua parte rentável, foi tema de reunião realizada na Câmara Municipal de Araxá no final de março. “A reunião teve como objetivo esclarecer acerca do Projeto de Lei 4.996/18 que visa a alterar a Lei 22.828 de 2018 para autorizar a empresa a realizar operações de cisão, total ou parcial, fusão e incorporação”, esclarece. Segundo ele, de acordo com a Codemig, a sua venda tem como principal objetivo enfrentar a grave crise financeira vivenciada pelo governo de Minas. Bosco informa que na composição societária atual, o Estado de Minas Gerais tem 30% das ações da Codemig e a recém-criada Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) 70% - “sendo que o governo busca vender são os 30%”.

PEC da Educação - O deputado Bosco assinou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que insere na Carta Mineira a obrigatoriedade de pagar aos servidores da educação o piso nacional previsto em lei federal. A PEC prevê que o piso será obrigatório, independente da política de governo.

A PEC que começou a tramitar na ALMG nesta terça-feira, 17, insere o artigo 201-A à Constituição Estadual, assegurando que o vencimento inicial das carreiras de professor de educação básica, especialista em educação básica e analista educacional na função de inspetor não será inferior ao piso. A alteração proposta também garante que os valores dos vencimentos das carreiras do grupo de atividades da educação básica passem a ser reajustados na mesma periodicidade e em decorrência de atualizações do piso. Para ser aprovada, a proposta precisa do aval de 3/5 dos deputados, correspondente a 48 votos.
Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Comunicação e Tecnologia