Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu
:: EDITORIAL :: Histórica oportunidade
08/11/2018, às 08:24:41

Com esmerada formação acadêmica e grandiosa experiência administrativa na iniciativa privada, o filho de Araxá, Romeu Zema Neto, reafirma que nasceu para ser gigante a partir da própria disciplina, determinação e trabalho. Ele vai ser governador de Minas Gerais em 1º de janeiro de 2019, após quase 30 anos na condução do expressivo grupo empresarial que fez crescer e está presente em praticamente todo o Estado - seguindo o exemplo do pai, Ricardo Zema. O sucesso dele junto à equipe que formará para essa missão de resgatar o Estado dilapidado pela ultrapassada política influenciará, proporcionalmente, os contextos políticos de todas as esferas de poder, principalmente o de Araxá.

A chamada velha política entendida como a do toma lá da cá, revanchista e redutivista ao dificultar o surgimento de novas lideranças e espaços está em crise. A ascensão de Zema ao governo contempla a expectativa de quase 7 milhões de pessoas de mudar o atual contexto de Minas Gerais, o terceiro Estado mais importante do país. Essa gente confia nele porque a sua indignação com a conjuntura do país o fez decidir participar diretamente do processo político e, pela primeira vez, já como candidato a governador.

Não há nada que o macule na sua pretensão, tanto que o seu adversário apegou-se justamente na sua inexperiência em gestão pública tratando-a como “despreparo”. Porém, Romeu está preparado, tem capacidade intelectual e emocional para assumir a difícil tarefa que ainda desconhece, mas irá rapidamente assimilá-la. Inclusive a estratégia adversária também pode ser compreendida como pureza em relação ao atual ambiente político tão degradado e, pelo resultado eleitoral, muitos entenderam desta forma.

Ao encontrar o Partido Novo e se afinar com a sua proposta de mudança, Zema decidiu-se de vez pelo ingresso na política e, mesmo correndo como azarão, hoje comemora a vitória por agir todo o tempo como campeão. Ao vencer o pleito, ele contrariou todos os prognósticos das pesquisas de opinião pública, prevalecendo a boa fé que o moveu e foi seguida pelo eleitorado. Que ele tenha o preparo suficiente para lidar com o poder público e não deixar que lhe suba à cabeça e afete o seu comportamento simples e humilde - apesar da grandeza de vida que o levou ao hercúleo trabalho.

Disposto a perseguir a política com o mesmo empenho com que faz tudo na vida, Zema foi selecionado pelo Novo como pré-candidato a governador e partiu para uma maratona de visitas a municípios em todas as regiões mineiras desde novembro de 2017. De lá até disputar o segundo turno, esteve pessoalmente em cerca de 200 municípios. O que o tornou mais conhecido do eleitorado e principalmente deu-lhe a noção das diferentes demandas mediante as diversidades de Minas Gerais que refletem as do Brasil em cada uma de suas regiões. Paradoxalmente, o desconhecimento em gestão pública imprimiu ainda mais credibilidade ao seu discurso de enxugar a máquina estadual, de “tolerância zero” com a corrupção, enfim, de mudança radical com o fim da polarização política entre PSDB e PT no Estado.

A virada no placar nas eleições em Minas Gerais aconteceu a partir da sua participação no debate da Rede Globo antes do primeiro turno, quando se apresentou convicto, tranquilo e com o seu “mineirês” e conduta que inspiraram a confiança do eleitor, sendo que muitos estavam o conhecendo naquele momento. Para o eleitorado, o seu descompromisso político é o mais importante. Zema já mostrou que aprende rápido e, justamente por não saber, pode se livrar dos vícios que dominam o poder público como o do “cabide de empregos”. Ele inclusive anunciou que o seu secretariado será escolhido mediante um processo seletivo feito por uma empresa de RH semelhante ao que participou para ser candidato ao governo.

Na entrevista coletiva concedida logo após votar na Escola Estadual Delfim Moreira, em Araxá, no último domingo, 28, ele disse que a sua primeira medida como governador será cortar despesas. Realmente, Zema tem pela frente um desafio muito grande para que Minas recupere o status na federação e retome o caminho do desenvolvimento reerguendo-se após essa crise sem precedentes desde a redemocratização do Brasil. Caso consiga superar o enorme desafio, ele passa a ser um provável candidato não só à reeleição ao governo - caso isto ainda seja possível em 2022 - como à presidência do Brasil.

Já os anseios da população de Araxá quanto ao futuro governador estão por toda parte como bons auspícios. Zema reiteradamente diz que dará o mesmo tratamento a todos os municípios mineiros, sem privilegiar qualquer um, mesmo Araxá. Ele está correto ao não abrir exceção para privilégios, porém no caso do município é fazer justiça, pois é uma questão de resgate e valorização de todo o potencial que foi relegado pela tradicional política agora deposta. O município também carece de novas lideranças, principalmente como a dele que surge impactando nacionalmente. Se Araxá for visto pelo novo governo estadual com olhos isentos, pode sim esperar por um necessário e importante impulso no seu progresso.
Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Comunicação e Tecnologia