Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu
EDITORIAL - Anunciado fim de ciclo
25/10/2019, às 09:46:42

Há um ano da realização das Eleições 2020, percebe-se a contumaz prática política que tanto tem feito mal a Araxá, especialmente nas últimas três décadas, a partir da redemocratização do país. O município desembarcou da ditadura militar para estar sob o autoritarismo de uma classe política herdeira desses tempos obscuros e que ainda insiste em se manter no poder a toda custa. Porém, essa casta de pessoas que ora estão juntas ora inimigas em decorrência da política está esgotando-se por si própria, definhando.

Depois de trinta anos, de eleição em eleição, decepção em decepção, o eleitor brasileiro está por demais calejado para continuar a cair nas mesmas conversas e armadilhas. O eleitor de municípios menores como Araxá ainda está mais ciente, porque como dizem “todo mundo conhece todo mundo”. Está pronto para ver que um ano antes do pleito colocam o bloco na rua com o uso da máquina pública, gastando conforme o próprio interesse e em detrimento às demandas da população que não rendem votos. Assim também concedem benesses para o funcionalismo e apadrinhados, inauguram muitas obras, perseguem a imprensa e outros que não comungam com os mesmos objetivos e puxam o tapete do concorrente sempre que possível - até se imaginário. Uma prática comum na época do coronelismo que disfarçadamente perpetua-se até hoje como àquela de dar um pé do sapato e só entregar o outro se for eleito. Atualmente, reveste-se de sutilezas como as promessas de emprego, de moradias e demais favores de todos os tipos.

O clima reinante em Araxá não é exceção, onde o povo vivencia o fim desse nefasto ciclo político. O que inclusive está demonstrado com a falta de candidaturas a prefeito atreladas a esse passado que tem levado a cidade até mesmo a regredir ao invés de evoluir à altura de todo o seu potencial. Um município que possui três diferentes eixos econômicos - mineração, agronegócio e turismo -, mas que está cada vez mais dependente da arrecadação de impostos sobrepesando a população. Ao invés do governo fazer bem circular tantos recursos a favor do desenvolvimento sustentável. Araxá está atrás de municípios próximos que tiveram e têm menos oportunidades, mas cujos governos são proativos. É preciso sair desse comodismo e propulsionar o crescimento de forma a equilibrar essa balança.

A ânsia pelo poder também leva à não formação de novas lideranças, eis que quando começam a surgir são logo arregimentadas por esse retrógrado e ganancioso posicionamento político, quando não encobertas ou massacradas para não despontarem-se e ocupar espaços. Dentre os resquícios dessa velha política estão as especulações sem qualquer fundamento, como os maldosos que jogam verde para colher maduro, os puxa-sacos a defender o status quo que lhes favorecem, a plantação de boatos etc. Mas o cenário para esses finalmente tende a ser desesperador, pois não há pré-candidatos a prefeito para pulverizar a disputa de 2020 como pretendiam num último ato. O sentimento da população é de polarização entre essa retrógrada política e a nova desvinculada desse passado e do presente.

Não adianta cogitar nomes de pessoas como prováveis candidatos a prefeito sem que nem saibam ou queiram isto, porque não vai dar para emplacar alguém só com o apoio da malfada situação vigente. Já não há mais tempo para tanto maquiar como faziam dantes, visando atender interesses de determinados grupos acostumados a manipular o eleitor desavisado ou mal-intencionado. Esse antigo esquema que ora se desmorona reforça a tendência de Araxá ter uma eleição polarizada, entre aqueles que não suportam a atual conjuntura do município e os que dependem do jogo político até para sobreviver.
Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Comunicação e Tecnologia