Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu
Campanha mobiliza comunidade contra a violência infantojuvenil
01/11/2019, às 13:58:16

A campanha “Todos contra a violência infantojuvenil” acontece nos próximos meses, quando serão abordados os diversos aspectos da negligência e violência contra crianças e adolescentes. A iniciativa é um trabalho em conjunto entre o Centro de Formação Profissional Julio Dário e o Conselho Comunitário de Segurança Pública de Araxá (Consep), com vistas à combater e prevenir qualquer prática abusiva contra essa vulnerável população.  O projeto conta com o incentivo do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), apoio da Prefeitura de Araxá, Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá), Ministério Público (MP), TV Integração, polícias Militar e Civil, Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e Agenda Comum Interssetorial. Com o propósito de prevenir, orientar e informar sobre a prevenção e combate a todo tipo de violência infantojuvenil, a campanha trata das violências que têm atingido crianças e adolescentes na sociedade araxaense.

Em 2018, pesquisas e dados do Serviço de Proteção a Crianças e Adolescentes (Disque 100) apontam mais de oito mil casos de violência física contra crianças e adolescentes apenas em Minas Gerais. Entende-se por violência física todo ato de utilização da força física para machucar ou agredir uma pessoa, de forma intencional ou não. Pesquisas semelhantes também revelam outra triste realidade, a do abuso sexual de crianças e adolescentes, com números que apontam que a maioria dos casos conhecidos ocorre dentro da casa da vítima, onde ela é abusada ou explorada pelos próprios pais, familiares, padrastos ou amigos da família e, muitas vezes, durante anos. Para ir além desses dois aspectos da violência contra crianças e adolescentes, a campanha também aborda outros temas igualmente importantes e que têm recebido pouca atenção. Como o tema do abandono e negligência que são marcados pela ausência da figura paterna e materna como guardiões e protetores da criança. Essa ausência demonstra o descaso dos pais e responsáveis para com seus filhos, deixando-os serem educados pelo ambiente a que têm acesso, causando-lhes dores psicológicas e, muitas vezes, aproximando-os do crime e das drogas. Outro importante tema é o do abandono digital, grande mal do século XXI. A questão é uma das faces do abandono e da negligência, caracterizados pela falta de controle dos pais ou responsáveis na vida digital da criança e do adolescente. O abandono digital coloca a vítima diante de diversos perigos que se escondem dentro e fora da tela do celular e do computador.

Outro tema abordado na campanha é a violência psicológica, que costuma ser silenciosa e pode estender-se por anos. Frequentemente, os casos perduram porque as vítimas não têm ainda a maturidade emocional para entender a violência e podem nunca se dar conta do que sofreram ou ainda achar que essa forma de tratar o outro é normal. O abuso emocional acontece quando uma pessoa exerce uma espécie de poder sobre a outra e a faz se sentir diminuída, incapaz, negligenciada. Humilhar, julgar, criticar em demasia, controlar, fazer passar vergonha ou sentir culpa são algumas formas de violência psicológica. Todos esses temas serão abordados ao longo da campanha que será veiculada em nível regional. A iniciativa produz publicações periódicas nas redes sociais, assim como ações publicitárias em vias públicas e diferentes meios de comunicação, com o propósito de diminuir o número de casos, incentivar a denúncia e reforçar o ambiente de segurança para crianças e jovens. A campanha é uma extensão do projeto executado em 2018 que tinha como escopo à época o combate contra a violência sexual de crianças adolescentes. Dessa vez, a campanha retorna com mais força ressaltando o valor de proteger e zelar pela integridade física e psicológica das novas gerações.
Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Comunicação e Tecnologia