Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu
Salário de vereador é reajustado em 40% a partir de 2021
17/12/2019, às 10:52:14

A atual legislatura aumentou os salários dos vereadores da Câmara Municipal de Araxá dos atuais R$ 8,9 mil para até R$ 12,5 mil, a partir da gestão 2021/2024. O projeto de resolução de autoria da mesa diretora foi aprovado por 8 votos favoráveis e 6 contrários na reunião ordinária realizada no último dia 10. O aumento aprovado no salário dos vereadores de Araxá que se reúnem ordinariamente uma vez por semana é de 40%. O expediente da Câmara Municipal para atendimento ao público externo é de meio período, funciona à tarde de segunda a sexta-feira. A votação do projeto de resolução surpreendeu a população que via internet tentou se mobilizar para cobrar dos vereadores a anulação do aumento durante a reunião ordinária desta terça-feira, 17, que inclusive não aconteceu como sempre às 14h e ainda foi remarcada das 8h30 para as 7h, o que evidenciou um receio da mesa diretora em relação à prometida manifestação na rede social, além da excepcional presença de um grande número de policiais militares na Câmara. A reunião marcada para a votação do Orçamento Municipal 2020 começou às 7h33 e transcorreu normalmente, sem a temida pressão popular. Em nenhum momento, a questão do reajuste dos salários dos vereadores voltou a discutida no decorrer da reunião. Porém, ao final da reunião houve manifestações isoladas de uma professora com um cartaz nomeando os vereadores que aprovaram o reajuste e de uma estudante com uma bandeira do Brasil. 



O presidente da mesa diretora, vereador Carlos Roberto Rosa, afirma que o projeto é uma inovação porque permite que o vereador passe a escolher o valor do seu salário até o teto máximo de R$ 12,5 mil ou mesmo renunciar totalmente deste recebimento para exercer a vereança. Segundo ele, essa opção é feita através de requerimento à mesa diretora e deve prevalecer durante todo o exercício do mandato, ou seja, de 2021 a 2024. Roberto destaca que o projeto é constitucional e estabelece um teto menor do que o limite máximo desses salários que corresponde à metade do que ganha um deputado estadual em Minas Gerais, ou seja, cerca de R$ 14 mil. Como presidente da Casa, Roberto não participou da votação do projeto de resolução de autoria da mesa. 
 
 
 
Os vereadores que votaram a favor da revisão salarial desses salários a partir da próxima legislatura foram Adolfo Segurança (Avante), Alexandre Irmãos Paula (PL), César Romero (Garrado/PL), Claudenir Dias (Pastor/PP), Fárley Aquino (DEM), José dos Reis (Zezinho/PT), José Valdez (Ceará) e Luiz Carlos (Podemos). Já os vereadores que votaram contra o aumento foram Fabiano Santos (Republicanos), Fernanda Castelha (PSL), Hudson Fiuza (PSL), João Bosco Jr. (Avante), Raphael Rios (SD) e Robson Magela (Republicanos). 
 
 




Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Comunicação e Tecnologia