Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu
Um estádio e dois destinos
13/12/2011, às 08:02:41

 

    O prefeito Jeová Moreira da Costa espera que a população decida sobre se quer a reforma do Estádio Municipal Fausto Alvim ou a construção de um novo, para que Araxá se consolide como subssede da Copa do Mundo de Futebol em 2014. Ele tem deixado clara essa intenção à imprensa sempre que é possível, inclusive na última coletiva concedida no dia 1º deste mês. Caso não seja reformado para a prática do futebol, o Fausto Alvim pode ser transformado num espaço de lazer para a população e atrativo turístico para quem vem à cidade, conforme propõe um dos roteiros desenvolvidos pelo escritório de arquitetura Jorge Wilheim e Consultores Associados, dentro do projeto Turismo de Bem Estar proposto pelo Sebrae MG, em parceria com a Prefeitura de Araxá.
    Em uma das audiências públicas realizadas para a elaboração da revisão do Plano Diretor Estratégico (PDE) de Araxá, em julho de 2009, ficou claro que o documento não poderia definir o futuro do Estádio Municipal Fausto Alvim. À época, o prefeito propôs a permuta de toda a área do estádio localizada no Centro da cidade, por outra bem maior entre o bairro Boa Vista e o Aeroporto Municipal Romeu Zema. O Poder Executivo chegou a enviar um projeto de lei à Câmara Municipal que lhe autorizava realizar a permuta, mas retirou a matéria de votação num clima polêmico que dividiu a cidade entre os que queriam ou não a sua aprovação.
    O assunto voltou à discussão na coletiva concedida por Jeová, que lembrou a retirada do projeto que tramitava no Poder Legislativo em 2009. Ele disse que, desta vez, espera que a decisão sobre o destino do Fausto Alvim parta da comunidade. “Em 2009, desenvolvemos a construção de um grande estádio, mas não tivemos a compreensão da comunidade”, disse. Segundo ele, é preciso voltar a discutir o assunto, porque um campo de futebol adequado é o único critério que falta cumprir para que Araxá seja mesmo um Centro de Treinamento de Seleção (CTS) em 2014.
    Depois de desistir da permuta que gerou polêmica logo no início do seu governo, Jeová propôs neste ano a construção de um centro de treinamento em área da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), localizada no Barreiro. A nova proposta chegou a ser apresentada à Codemig após o seu retorno da Europa, através de um arrojado pré-projeto assinado por um arquiteto espanhol, em setembro passado.
    “O centro de treinamento era fantástico, mas tudo acontece na hora certa, porque agora não podemos fazer ali, porque é onde está o ouro”, informou Jeová na coletiva. Ao dizer ouro, o prefeito referia-se ao rejeito da mineração depositado nessa área escolhida para a construção do centro de treinamento e que pode ser futuramente explorada.
    Jeová agora está disposto a construir um moderno estádio municipal, bem maior que o Fausto Alvim e em área distante do Centro, sem condicionar esta questão à permuta da área. Segundo ele, o investimento estimado em R$ 60 milhões seria feito com recursos do município, do Estado e da União, em dois anos. “O projeto anterior aproveitava a topografia do terreno do Barreiro, então, declinamos e vamos começar a defender a construção do novo estádio para Araxá ser subssede em 2014. Será um desafio fazer em dois anos, 2012 e 2013, é uma proposta arrojada e precisamos estar unidos em torno dela”, disse.
    Como a nova proposta inclusive ultrapassa o seu mandato, o prefeito afirma que só irá executá-la se for esta a vontade da maioria da população. Segundo ele, outra alternativa é a reforma do Estádio Municipal Fausto Alvim, adequando-o para ser centro de treinamento de seleção no evento da Copa do Mundo.
    “Para alavancar a construção de um novo estádio, não teremos dificuldades em termos de verbas, com o Estado e União. Porém, vamos discutir com a sociedade o destino do Fausto Alvim.” Ele disse na coletiva que a prefeitura pode disponibilizar cerca de R$ 40 milhões para as obras do novo estádio no decorrer dos próximos dois anos, o mesmo valor que deve ser investido na revitalização da av. Antônio Carlos e construção da Cidade Administrativa Juscelino Kubitscheck que serão entregues à população no primeiro semestre de 2012. Ele acrescentou que os R$ 20 milhões restantes do valor estimado podem vir dos governos estadual e federal.

     Vote na enquete do Jornal Clarim


Turismo de bem estar
    Se a opção da comunidade for pela construção de um novo estádio, o Fausto Alvim poderá integrar um dos roteiros propostos pelo Sebrae MG dentro do projeto Turismo de Bem Estar, desenvolvido para Araxá em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias. Para essa roteirização dos atrativos da cidade, o Sebrae contratou o arquiteto Jorge Wilheim que elaborou o projeto Cinco Sentidos.
    O Grupo de Desenvolvimento Estratégico de Araxá (Gdae), formado a partir da missão à Europa coordenada pelo Sebrae, apresentou o projeto às lideranças de Araxá, da região e do Estado, no Tauá Grande Hotel. Na ocasião, Wilheim que é um dos consultores do Ministério dos Esportes para a realização das Olimpíadas de 2016 no Brasil detalhou a proposta desenvolvida para Araxá.
    O arquiteto contou que pensou na oportunidade de dar uma identidade maior à cidade realizando um sonho coletivo de tornar a sua realidade urbana mais turística, voltada para o bem estar. Segundo ele, através do Sebrae foram identificados quais os itens que definem Araxá como uma cidade onde é bom estar. Dessa forma, ele passou a investigar e produzir projetos para a área urbana do município, a partir dos cinco sentidos: tato, paladar, olfato, audição e visão.
    De acordo com ele, foram elaborados os circuitos que pudessem caracterizar esses aspectos, como por exemplo, relacionando o patrimônio público com a visão, as atividades culturais com o tato, a música e os pássaros com a audição, o paladar com a gastronomia e, o olfato, com os perfumes naturais da cidade que exalam dos jardins floridos.
    Na proposta de Wilheim, o Estádio Municipal Fausto Alvim integra os circuitos da visão e do paladar. O circuito da visão é composto pelo rico patrimônio histórico de Araxá e começa na Igreja São Sebastião, seguindo por outros atrativos da região central, como a nova av. Antônio Carlos, os museus e outras paisagens urbanas. O Parque do Cristo já está sendo reformado para ser modelo de parque ecológico, integrando esse circuito e também o do olfato.
    “No circuito do olfato, o passeio começa perto do futuro mercado municipal, subindo em direção ao Parque do Cristo em curvas de níveis que tornam a caminhada mais agradável, sendo mais uma alternativa de acesso ao local, além da escadaria e do uso do automóvel. É um caminho a ser percorrido com baixa declividade, onde o bosque seria enriquecido com a criação de um jardim botânico no morro, com função pedagógica, como a identificação das espécies. O acesso ao bosque tem duas pistas, para pedestres e ciclistas, com várias interrupções para aluguel de bicicletas, descanso etc.”, explicou Wilheim.    
    De acordo com ele, a proposta para o estádio é manter a parte da arquibancada coberta e o gramado para receberem shows e apresentações culturais, além da criação de um circuito para a prática de caminhada e atletismo, com boxes de alimentação com a oferta de diversos tipos de alimentos. “Como num shopping só que ao ar livre, com caramanchão, jogos, parque infantil, balcão de informações etc.”, apresentou o arquiteto.
    Ele destacou que o estádio está localizado na av. imbiara que também passa por uma transformação dentro da proposta para contemplar o circuito do paladar. Segundo ele, em toda a sua extensão a av. Imbiara é enriquecida com o plantio de árvores frutíferas do cerrado, formando um jardim gastronômico. As calçadas da avenida seriam alargadas, aumentando o meio fio de forma a privilegiar o espaço do pedestre, além de valorizar as atividades comerciais. “A avenida termina na Praça das Águas, implantada no lugar da rotatória que segue para o Barreiro, com fonte de água para consumo dos passantes e caramanchão ao ar livre voltado para a exposição e comercialização de doces.”
    O arquiteto propõe uma identidade visual para a delimitação dos circuitos baseada em diferentes cores. “É uma trama que cobre a cidade toda, mas a decisão de implantar os projetos é muito específica e podem ser executados em parte.” Segundo ele, a colocação de totens visíveis e coloridos em toda a cidade fornece as orientações aos visitantes sobre o que pode ser percorrido. As cores que padronizam os circuitos estão nas estações e ao longo de cada um deles. Os totens são da altura dos olhos, com informações sobre o que está sendo visto e qual a melhor forma de satisfazer os seus sentidos.
    De acordo com o arquiteto, os custos para a implantação de cada circuito foram estimados separadamente, sendo R$ 25,3 milhões no total. O circuito do paladar na av. Imbiara está estimado em R$ 7,9 milhões e o do Parque do Cristo em R$ 12 milhões, além da identidade visual orçada em R$ 1,1 milhão. Durante essa apresentação, o prefeito disse que iria discutir com os grupos organizados da cidade se construiria um novo estádio, antes de fazer qualquer intervenção no atual.       


Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Comunicação e Tecnologia