Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
Editorial - Tiro pela culatra
17/02/2020, às 08:32:24
A Prefeitura de Araxá realizou mais uma campanha publicitária voltada para enaltecer os feitos às vésperas do ano eleitoral, como se tudo estivesse uma maravilha e o prefeito Aracely de Paula fosse um bom gestor. Realmente, ele não pode ser candidato à reeleição, mas como frequentemente se vê na política, deve querer eleger o seu sucessor por óbvias razões. Porém, o seu apoio tende mais a atrapalhar do que ajudar qualquer candidato do seu grupo político.   
 
As comuns estratégias políticas visando as próximas eleições, como a pressão aos pretensos candidatos e ao funcionalismo público com destaque para os comissionados e à imprensa, o arrebatamento dos partidos a partir de influência exercida em Brasília (DI), a promessa de liberação de recursos estaduais e federais, dentre outras que funcionam como uma “escola” da velha política para se manter no poder, já não são tão eficazes como dantes mediante o amadurecimento do eleitorado. Na disputa eleitoral deste ano, é mais difícil praticar engodos, ainda mais em Araxá que sente o retrocesso ao invés do almejado desenvolvimento sustentável no decorrer dos últimos anos.
 
A atual gestão prima por soterrar reais problemas em obras inócuas como a do viaduto da rua Uberaba, no bairro Alvorada, ou mesmo cria-los pela falta de ação. O governo municipal que completou cinco anos em 2019 anda de mal a pior em termos de satisfação popular e, por isto, nem mesmo com a máquina  conseguirá influenciar a opinião pública como ocorreu em 2016, quando o prefeito Aracely de Paula foi reeleito. 
 
Além do desgaste natural de um político que está há 40 anos na vida pública, a drástica situação de descuido nos mais vários setores da cidade, as diversas denúncias de corrupção no governo levadas ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a falta de políticas públicas e também a recente reprovação da prestação de contas da administração municipal referente ao exercício 2016 evidenciam a dificuldade em defender a atual gestão. Não funciona mais destacar o prefeito Aracely como o responsável pelo o que é feito a contento da população, preservando-o de ruins questões e demandas que se acumulam ano a ano no município, várias já estão sub judice. Numa cidade pequena como Araxá, é possível estar bem informado quanto às lideranças públicas e privadas, como em relação a quem tem governado de fato. 



Dos cerca de 100 mil habitantes, uns 15 mil estão vinculados direta e indiretamente ao poder público municipal porque é o maior empregador de Araxá, com cerca de 5 mil servidores e, destes, uns 30% contratados. Porém, o não cumprimento das velhas promessas políticas que não se concretizam de governo a governo, conscientiza o eleitorado que em sua grande maioria tende a buscar a renovação nas Eleições 2020. 
 
Outro fato a favor da renovação política em Araxá é o descrédito de um prefeito que perdeu a eleição e, inconformado, promoveu uma dissenção política tão grande em prejuízo da população que agora se volta contra o mesmo, agravando-se a cada dia. Após dois anos no cargo devido ao impedimento do ex-prefeito Jeová Moreira da Costa, Aracely disputou e ganhou as Eleições 2016 para ficar por mais quatro anos à frente do governo municipal. A sua reeleição foi beneficiada com a promovida transição atípica de governo feita através da contratação de uma auditoria externa que hoje está sendo judicialmente questionada, aliada às prometidas obras e ações. 
 
Porém, de lá para cá a cidade ficou praticamente esquecida em políticas públicas e serviços urbanos que são essenciais, somente agora em ano eleitoral procuram reagir, contudo não vai mais ser possível correr atrás dos votos como anteriormente. O passivo é muito grande, a exemplo da maioria dos locais cobertos de mato e inclusive áreas da própria prefeitura, as vias esburacadas e sem sinalização, o destrato com o aterro sanitário etc. 
 
O desempenho negativo do prefeito Aracely ou a falta dele nesta gestão supera todas as anteriores. Araxá está bem pior do que antes em quase todos os indicativos, retrocedendo em pontos fundamentais para o seu desenvolvimento sustentável por falta de efetivas políticas públicas. Não será em um ano, ainda por cima eleitoral, que a administração municipal se livrará de tantos problemas. Pelo contrário, o ano começa com a reprovação pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG) da prestação de contas da Prefeitura de Araxá relativa a 2016, demonstrando de fato que a propaganda de bom gestor não coaduna com a realidade. 
 
Na velha política, os vereadores que deveriam fiscalizar o Poder Executivo trabalham para referendar as suas ações. Porém, os vereadores que estão implicados com o Poder Executivo também vão ter muita dificuldade para serem reeleitos devido à crescente impopularidade do atual governo.
Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia