Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm
prefeitura_araxa
EDITORIAL - Valiosa argumentação
09/01/2017, às 08:12:16

O prefeito Aracely de Paula disse com a necessária diplomacia, porém publicamente, diretamente e com toda a clareza, o que o governador do Estado, Fernando Pimentel, precisava ouvir sobre a desatenção da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) com Araxá. Aracely direcionou corretamente o recado para o presidente da estatal, Marco Antônio Castello Branco, tendo o próprio governador como testemunha. Ao discursar após o prefeito, o governador também foi muito preciso e feliz no que disse sobre Araxá e em resposta à elegante cobrança.

Pelo menos nos últimos 25 anos, foi a primeira vez que a sociedade presenciou um prefeito postando-se com firmeza e justeza, convincentemente, sobre a problemática da esperada contrapartida da Codemig que só existe em função dos recursos auferidos com a mineração do nióbio no munícipio. Uma operação que hoje deve render-lhe para fazer investimentos em nome do governo do Estado cerca de R$ 800 milhões por ano. Até então, desde o fechamento do Grande Hotel em meados dos anos 1990, Araxá parece estar sempre com o chapéu na mão, batendo palmas para as migalhas destinadas pela estatal depois de muito pedir. Praticamente, a Codemig investiu muito pouco no município no decorrer de todos esses anos, primeiro sob o argumento de que estava gastando milhões com a reforma e restauração das Termas e do Grande Hotel que na verdade são patrimônios do Estado, que inclusive hoje lhe rendem royalties, enquanto Araxá não recebe nada e ainda faz a manutenção de parte da área verde no complexo do Barreiro.

A cidade também foi “contemplada” pela Codemig com o Expominas Araxá que não foi concluído e muito menos utilizado como idealizado, um espaço abandonado que carece de uma destinação correta. Assim como, a enorme e privilegiada área pertencente à Codemig na região Sul da cidade, pois parte foi concedida para sediar o fórum e o Ministério Público, mas o restante permanece sem uso impedindo o desenvolvimento urbano naquele setor. Depois disso, tudo que a estatal arrecadou durante anos foi para a construção da Cidade Administrativa pelos ex-governadores Aécio Neves e Antonio Anastasia, cerca de R$ 2 bilhões levantados graças aos recursos naturais de Araxá. Após esse período, já no findar dos governos tucanos, um araxaense ocupou pela primeira vez a vice-presidência da estatal, o ex-prefeito Antônio Leonardo Lemos Oliveira. Ele com muito esforço e o apoio do deputado estadual Bosco conseguiu que fosse elaborado o projeto da Vila do Artesanato e destinados recursos para a duplicação da av. José Ananias de Aguiar (do Comboio) com a construção de um novo trevo no acesso a Uberaba pela av. Geraldo Porfírio Botelho, ambas rodovias estaduais. O projeto da vila não saiu do papel e a duplicação foi concluída depois de muito esforço, no “tapa”. A Codemig naquela gestão também construiu o trevo em frente ao Distrito Industrial (DI) na rodovia estadual MG 452. Inclusive, depois o DI foi repassado para o município pela estatal, mas sem infraestrutura adequada.

Com a mudança de governo, esperava-se um outro tratamento da Codemig com Araxá, pelo menos que o novo presidente não tivesse a postura do anterior de não fazer nenhuma questão de manter contato com a cidade. Ledo engano, nos últimos dois anos, a Codemig investiu em todo o Estado e nada em Araxá. O atual presidente se dignou a receber o prefeito apenas uma vez. Para que Araxá também fosse contemplada em projetos como a revitalização dos DIs e dos voos subsidiados para a capital houve um grande esforço por parte das lideranças políticas e empresariais da cidade, o tal do chapéu na mão. Uma história que agora pode mudar se a sensibilidade demonstrada pelo governador Pimentel com o bem sucedido discurso do prefeito Aracely se traduzir nas tão esperadas ações, recentemente pleiteadas junto a ele por uma comitiva araxaense, no Palácio da Liberdade. Na ocasião, o deputado e o prefeito pediram ao governador que a Codemig construísse a Vila do Artesanato e que os cerca de R$ 4 milhões que não foram repassados para a reforma do Parque do Cristo conforme acertado anteriormente agora fossem destinados para a duplicação da av. Hitalo Ros, além das pleiteadas melhorias no DI.

O atendimento a essas reivindicações seria um marco inicial no estabelecimento de um relacionamento mais justo entre a estatal e o município, como disse o governador Pimentel se referindo ao discurso do prefeito: “...Araxá não vai ser nunca só um retrato na parede de Minas Gerais. Nós não permitiremos que a terra de Araxá seja, como foi Itabira noutros tempos, vilipendiada, vai ser sim usada de maneira correta, sustentável, mas para o benefício de todos. E o nióbio de Araxá será sempre usado, enquanto estivermos administrando, em benefício do Estado como um todo, mas com retribuições à cidade de Araxá”. É o que a comunidade araxaense espera, que a visão do governo estadual seja republicana como prega a Codemig, porém acima de tudo justa.

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia