Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm_banner
980x150
Ex-marido mata mulher e simula suicídio
27/09/2011, às 15:04:46

   A Polícia Militar (PM) encontrou A.C.J., de 37 anos, morta dentro de sua residência nesta segunda-feira, 26, por volta das 6h, na rua José Auro da Silveira, bairro São Domingos. A princípio, os policiais suspeitaram de suicídio, porque encontraram um frasco de remédio para rato no local. No entanto, o investigador da Polícia Civil que atua como auxiliar de necropsia no Instituto Médico Legal (IML) de Araxá, Udson Fiuza Lemos, desconfiou da causa da morte ao examinar o corpo e chamou o médico legista, Pedro Pezzuti.
   O médico precisou radiograr o corpo para vizualizar a provável fratura no pescoço da vítima, o que foi possível com a cooperação do Pronto Atendimento Municipal. Com o resultado em mãos, o médico legista confirmou a fratura contando com o apoio do médico ortopedista, Sidnei Gonçalves. O corpo voltou ao IML e Udson acionou o delegado Victor Hugo Heisler e repassou-lhe as novas informações sobre o crime.    
   De acordo com os dados da PM, os policiais depararam-se com a mulher deitada em uma cama já sem vida e, em uma mesinha que estava ao lado, estava o vidro de veneno para ratos. A ocorrência foi registrada como suicídio e os peritos da 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil foram acionados pelos militares. Eles realizaram os trabalhos de praxe no local, onde dois fatos chamaram a atenção. Eles constataram que no quarto onde a mulher foi encontrada não havia nenhum sinal de vômito, o que é muito comum em caso de morte por envenenamento. Outro fato foi a região do pescoço da vítima que se movia, embora o seu corpo já estivesse em estado de rigidez cadavérica.
   Udson explica que a região do pescoço do cadáver foi dessecada, onde foram encontrados sinais de unhada tanto do lado de fora quanto de dentro do corpo, que também estava cheio de hematomas. Ele acrescenta que não foram encontrados sinais de envenenamento, havia apenas um pouco de veneno na boca da vítima. Segundo ele, se houvesse o envenenamento, o veneno deveria estar no estômago.                
   Com a confirmação do homicídio, o principal suspeito passou a ser o ex-amásio da vítima. De acordo com familiares da vítima, o homem vinha ameaçando a ex-amásia de morte, sendo que em uma destas ameaças a Polícia Militar foi acionada e registrou o boletim de ocorrência.
   O suspeito apresentou-se na Delegacia acompanhado de um advogado e, após ser ouvido, foi liberado. O corpo da vítima foi liberado pelo IML no início da noite de segunda-feira, 26, e o sepultamento aconteceu nesta terça-feira, 27. O médico legista aguarda os resultados de exames complementares para atestar a morte. O material recolhido foi levado para o laboratório em Belo Horizonte para exames, como o de DNA feito a partir da raspagem das unhas da vítima e do autor. 

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia