Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
Editorial - Novas vibrações
04/05/2020, às 14:19:35
O mundo já não é o mesmo, a pandemia do coronavírus acontece como uma guerra contra o que a humanidade vivenciava até então, convocando todos para uma íntima revolução movida pela própria vida. A história confirma que se trata de mais um desafio dentro do processo de evolução da humanidade, pois as drásticas mudanças marcam um período de transição para a prevalência de novos conceitos contra os vigentes que têm feito tanto mal ao aprofundar diferenças, enquanto no âmago e nos direitos como pessoa somos todos iguais. 

O homem tem sido convidado a despreocupar-se com o futuro para viver o agora, valorizando cada instante do seu tempo de vida que pode repentinamente expirar-se diante da sua pequenez. Milhares de mortes ocorrem para dar ao homem a perdida lucidez perante ao próximo, como no Brasil, onde milhões de pessoas que viviam à margem social, ignoradas pelo massacrante sistema globalizado e desumanizado, agora vêm à tona. Os números apontam para um só resultado, o único, a individualidade de cada um que se somam ao coletivo fazendo o presente. 

Depende de cada um enfrentar o desafio proposto e colher a vitória ou a derrota na sua guerra íntima. É fundamental entender a importância de passar por este processo de transição para que a humanidade dê um grande salto de aprendizado, ao vivenciar dolorosos sentimentos como o medo perante à morte, fome, escassez, doença, se lapidando para adaptar-se a esse novo mundo que se descortina com a dor para mostrar a necessidade do amor.



Tudo é transitório, mas a impaciência humana é tão grande que se torna difícil de ser revertida. Atualmente, dias se transformam em infinidade de tempo com tanto peso negativo. O homem chegou a tal egoísmo que muita gente ainda pensa que é privilegiada, que está livre das dores, que a vida do outro não tem importância se não for para satisfazer a sua vontade e manter o seu poder através do dinheiro. Gente que não sabe buscar o equilíbrio, para quem a vida é oito ou oitenta.

Hoje, todos estão obrigados a vivenciar o presente diante da incerteza do futuro, pode ou não estar vivo amanhã. A pandemia demonstra que não faz sentido focar o futuro através dos objetivos materiais, mas sim a realidade que nos cerca em novas e importantes descobertas, vivendo um dia de cada vez. Não faz sentido sonhar com o futuro, sacrificando o presente. Do que adiantam as posses, a ganância, a posição social mediante à calamidade pública? É possível sentir que nada de material tem valor diante da nossa vida, assim seguir quebrando paradigmas, lutando contra as desigualdades. 

O coronavírus também leva a uma maior vivência familiar, ao invés da ânsia de trabalhar, de estar fora, distante, porque a proximidade pode incomodar, mas desperta amor, caridade e aponta soluções. Sem vivenciar os sentimentos que nutrimos por quem até às vezes ignoramos, mesmo sem qualquer distanciamento físico, não nos transformamos em pessoas melhores. A pandemia nos impinge a viver o hoje, porque não sabemos do amanhã, embora pelejemos para direcionar o nosso destino. Nos desperta a consciência de que tudo pode mudar a qualquer momento, o que aquece a nossa fé num maior significado da existência e fortalece a convicção de que não é possível ser feliz sozinho. 

magalu

Todos estamos sendo convidados a encarar os nossos conflitos agora, acreditando que, como dantes na história, haverá a reversão deste sofrido período, surgindo um mundo mais vibrante de amor e mais rico de conhecimento. A nossa guerra será vencida pelos bons sentimentos, atacando os maus que costumam impedir-nos de ver o outro lado. Há quarenta dias de isolamento social iniciado em Araxá, agora vivenciamos o aumento dos casos confirmados, inclusive de mortes. Então, não é simplesmente abrir o comércio sem que o município esteja preparado para enfrentar um provável aumento de casos, pois hoje conta apenas com 14 leitos de UTI exclusivos para Covid-19 e ainda aguarda respiradores para que possam aumentar esta oferta que atende a microrregião. 

Todos queremos a abertura do comércio em geral, mas deve ser gradual e com todas as medidas previstas como o rodízio de funcionários e redução do horário de funcionamento, o distanciamento entre as pessoas, o uso irrestrito de máscaras etc. Também é hora de descruzar os braços, não ficar esperando pelo cliente e ser criativo na recondução do seu negócio. Ser otimista contra o desespero, aproveitar para fortalecer a sua marca, digitalizar a sua empresa, refazer processos, rever custos, dar a sua cota-parte de responsabilidade social.
Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia