Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
PC conclui primeira fase da Malebolge com o indiciamento de sete pessoas
15/09/2020, às 14:16:14
pc

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu a primeira fase da Operação Malebolge com a remessa do inquérito ao Ministério Público (MP) na terça-feira, 15. O coordenador da operação, delegado Renato Alcino, pede o indiciamento de sete pessoas por peculato, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O casal de ex servidores públicos também é indiciado como os líderes do esquema criminoso e por obstrução da Justiça.

O coordenador da complexa operação Malebolge, delegado Renato Alcino, esclarece que das sete pessoas que tiveram envolvimento considerado relevante com a organização, cinco permanecem presas preventivamente e duas que foram presas temporariamente e colaboraram com as investigações respondem em liberdade. Segundo ele, trata-se da conclusão de apenas um dos desdobramentos da investigação iniciada em 2015 para apurar o desvio de recursos públicos através de entidades do terceiro setor. Ele acrescenta que no caso foi concluído somente o inquérito relativo ao desvio de recursos públicos estimados em R$ 6 milhões através da prestação de serviços de transporte de vans à Prefeitura de Araxá. 



Renato esclarece que junho de 2015 foi estabelecida como a data início dessas investigações, quando ocorreu o primeiro pagamento feito por empresários aos “atores” da administração municipal. “Mas pelas investigações, esses desvios podem até ter ocorrido antes dessa data, porém, os contratos anteriores estão sendo investigados e, até o momento, não temos prova da ocorrência do mesmo procedimento criminoso”, esclarece. O delegado acrescenta que outra prova reveladora é o aditamento desse contrato em 25% já em agosto de 2015, sendo que os serviços foram todos executados em apenas uma data. O inquérito contém 49 páginas e o delegado ainda pede ao Ministério Público a suspensão do sigilo das investigações em relação ao que já foi concluído porque trata-se de dano ao erário público.

Novas investigações - Renato informa que a partir da Operação Malebolge deflagrada em 11 de agosto passado, como desdobramento das primeiras investigações de 2015, foram abertas outras onze, sendo a que foi concluída esta semana e outras dez que continuam em andamento. Dentre essas investigações em andamento, está a que se refere ao cometimento de crime eleitoral com a utilização da máquina pública. De acordo com o delegado, essa investigação está sendo tratada com prioridade e ele espera prestar mais informações à imprensa nas próximas semanas. 

Segundo ele, essa investigação principal envolve “diferentes personagens” que seriam as pessoas da administração municipal pagas com o dinheiro público para fiscalizar a sua boa aplicação e, no entanto, “se omitiram de forma dolosa ou simplesmente deixaram as coisas acontecerem, porque chegou ao ponto da Polícia Civil e do Ministério Público terem que intervir”. Ele ressalta que essas pessoas contratadas pela administração municipal para fiscalizar, evitar a corrupção, têm no mínimo a responsabilidade administrativa pelos fatos em apuração. 
    
>> Leia mais na edição impressa do Jornal Clarim que circula nesta sexta-feira, 18.
Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia