Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm_1
prefeitura_araxa
Suspeitos de homicídio são presos pela PM
10/01/2012, às 12:05:51

    A Polícia Militar (PM) prendeu os suspeitos de terem cometido um homicídio no domingo, 8, por volta de 1h, na rua Geralcino Ribeiro da Silva, bairro São Pedro. De acordo com o solicitante F.H.P., de 23 anos, ele estava passando pelo local de carro quando avistou um indivíduo caído no asfalto, com sangramento pelo corpo. Então, ele imediatamente acionou o Corpo de Bombeiros.
    Os bombeiros já prestavam o atendimento à vítima constatando o seu óbito, quando os policiais militares chegaram ao local do crime. Como o corpo estava próximo à residência do autor C.S., de 48 anos, conhecido no meio policial por ter a sua casa frequentada por usuários de drogas, os policiais se deslocaram até lá. Ele foi localizado e solicitado para comparecer à rua a fim de reconhecer a vítima. Ele afirmou que a vítima freqüentava a sua casa e tem o apelido de Negão, porém alegou desconhecimento do homicídio.
    J.A.S., de 42 anos, esteve no terminal rodoviário e falou para os policiais que estavam no local que havia visto um corpo ensanguentado caído na rua. Após as informações colhidas pela PM, foi constatado que a vítima residia com C.S., que tinha vestígios de sangue nas mãos. Mais vestígios de sangue foram encontrados nos pés do indivíduo que havia acionado a PM no terminal rodoviário.
    Então, os policiais adentraram na residência do autor de 48 anos, onde havia um filtro de barro todo quebrado com sangue. Também havia gotas de sangue em alguns cômodos, na cama e na área externa da casa. Inicialmente, os autores disseram que não sabiam nada sobre o fato, alegando que o sangue era de uma galinha que tinham matado.
     O suspeito J.A.S. alegou que o autor do homicídio seria um indivíduo conhecido como Paulistinha, que foi localizado pelos policiais. Paulistinha disse que havia brigado com a vítima, mas acrescentou que ele foi até a residência de C.S. onde já estava morta.
    Segundo ele, J.A.S. lhe disse que a vítima havia sido atropelada e, por isto, veio a falecer. Já C.S. alegou que o autor do homicídio era J.A.S. que atingiu a cabeça da vítima com o filtro de barro. Segundo ele, após o fato foi dormir e não sabe passar maiores informações.
    Diante dos fatos, todos os indivíduos suspeitos do crime foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil para esclarecerem os fatos. A vítima por ser mendigo foi a princípio considerada indigente, pois nenhum dos autores sabia o seu nome. Segundo eles, somente a conheciam por Negão e Baiano. Todos os suspeitos possuem passagens pela polícia.

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia