Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm
banner_pma]  
Emater prepara solo para plantio de couve-de-bruxelas
24/01/2012, às 09:00:48

 


   A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) vai avaliar o potencial de comercialização de couve-de-bruxelas em Camanducaia, Sul do Estado. Para tanto, a partir de fevereiro, o escritório local da empresa colocará em prática as ações de preparação do solo no terreno onde será feito o plantio de 2,5 mil pés da hortaliça. A lavoura será em uma propriedade rural, onde já existem outros experimentos com as culturas de figo, amora preta e cana-de-açúcar.
   “Em fevereiro o solo começará a ser corrigido com calcário. Vamos fazer o teste do comércio. Os bons preços pagos ao produtor pela crucífera, em entrepostos como a Ceasa Campinas e a Ceagesp, em São Paulo, fortalecem a expectativa de que esta pode ser mais uma opção de atividade para a agricultura familiar do município na safra de inverno”, defende o extensionista e engenheiro agrônomo, Hélio João de Farias Neto.
   Segundo ele, o primeiro experimento com couve-de-bruxelas focou na produção. O teste foi feito no último inverno. Na ocasião, foram plantados mil pés de couve-de-bruxelas, que renderam após 130 dias, cerca de 30 unidades por planta ou 600 gramas de “repolhinhos” cada.
   Mesmo com poucos dados estatísticos oficiais sobre a produtividade da hortícola, uma vez que ela ainda é produzida em pequena escala no país e a literatura sobre o assunto é muito reduzida, o agrônomo considerou o resultado da experiência positivo. “O objetivo foi avaliar o desenvolvimento e adaptação da cultivar ao clima e ao solo do município, e isso alcançamos. Mesmo após três fortes geadas, as plantas não perderam o vigor e se desenvolveram bem”, afirmou.
   Ainda de acordo com Farias Neto, um outro teste em andamento na região está avaliando agora a produção de couve-de-bruxelas no período das águas. A meta é observar se, também nesta estação, a crucífera produzirá como no inverno passado. Na primeira experiência, desenvolvida de junho a outubro de 2011, quando as verduras foram colhidas, o escritório da Emater-MG constatou que os repolhinhos atingiram a média de 20 gramas cada e dois centímetros de diâmetro, “medidas consideradas ideais para a comercialização”, segundo o agrônomo. O estudo foi feito com sementes italianas.

Repolhos em miniatura
   Do mesmo gênero da couve e parecida com pequenos repolhos, a couve-de-bruxelas (Brassica olerace, grupo Gemmifera) é também chamada de repolhinho. O apelido tem relação não apenas com o aspecto físico, mas também com o sabor semelhante ao do repolho comum, embora seja mais suave. Uma característica da verdura é que ela cresce ao longo do talo, que fica totalmente coberto pelos repolhinhos.
   Na cozinha, a couve-de-bruxelas pode ser usada de várias maneiras, sendo recomendada principalmente para o acompanhamento de carnes. Também pode ser utilizada no preparo de sopas, ensopados, cozidos e saladas. Rica em sais minerais, como fósforo e ferro, a couve-de-bruxelas também contém vitaminas A e C. Por ter baixas calorias, a verdura pode ser adotada em dietas de emagrecimento.
   Mais informações sobre o cultivo da couve-de-bruxelas poderão ser obtidas no escritório da Emater-MG, em Camanducaia: (35) 3433-1630.


Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia