Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
Editorial - Tapar o sol com a peneira
26/04/2021, às 09:03:41
Araxá continua tomando bomba em algumas ações de combate à pandemia, mesmo com a mudança no comando da Secretaria Municipal de Saúde, o que significa que no poder decisório do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 não houve tanta alteração. Parece existir uma vontade de compensação que não se explica ao afrouxarem algumas medidas e ao mesmo tempo arrocharem outras, como que para dar satisfação à sociedade do que não é possível.

O razoável é seguir medidas que na maioria dos municípios mostraram-se adequadas, a exemplo da testagem dos sintomáticos que vem sendo adotada em Araxá com mais frequência há um mês, contribuindo para a redução da contaminação com o monitoramento mais efetivo dos doentes. Mas de onda em onda, o município continua a tentar escapar como pode sem, contudo, conseguir eliminar o risco de se afogar. E a população insiste em se arriscar ao tapar com a peneira o escaldante sol, a exemplo do intenso movimento verificado na última semana. Especialmente, em segmentos mais suscetíveis ao fechamento e que deveriam ser os primeiros a exigir o cumprimento das medidas de distanciamento e outras em seus estabelecimentos.  

Enquanto não houver uma conjunção de esforços a fim de minimizar o tamanho das ondas que chegam a Araxá, fica muito mais difícil vencer o mar da pandemia. Se a semana começou com a excelente notícia de que a média dos casos por dia caiu praticamente pela metade de março até agora, no entanto, também com a preocupação do efeito das aglomerações feitas no último fim de semana que somente serão sentidas a partir dos próximos dez dias. 

Antes da onda roxa estabelecida pelo programa Minas Consciente do governo do Estado, em Araxá duas medidas adotadas somente em decretos municipais não se justificavam para a grande maioria dos municípios mineiros. Uma delas, a redução do horário e dias de funcionamento dos supermercados, lojas de conveniência e outros serviços essenciais e ainda mantendo-os fechados aos domingos e feriados. Outra decisão isolada do Estado adotada no município foi a total Lei Seca que vigorou por quase um mês, enquanto no programa Minas Consciente não foi prevista nem na onda roxa justamente pela falta de aplicabilidade.



Esses dois recentes momentos vivenciados no município provocaram aglomerações que foram sentidas a partir de duas semanas depois de adotadas as medidas, no pico dos casos e mortes por dia em decorrência da Covid-19, quando se venciam as inconsequentes aglomerações do período carnavalesco. Mais uma vez, contrariando a lógica comum, um decreto municipal entrou em vigor proibindo o funcionamento de supermercados e similares aos domingos e feriados, porém mantendo abertas as padarias. Essa medida aliada à redução do horário de funcionamento até às 20h em vigor, levou a novas aglomerações especialmente em padarias e similares até no domingo, 18. Pois na segunda-feira, 19, um novo decreto extinguiu o anterior e autorizou esse funcionamento aos domingos e feriados, face ao tumultuado fim de semana passado. 

O que faz sentido desde o início, visto que quando mais tempo o consumidor tem para ir ao supermercado, menos probabilidade de ocorrer lotação. O fechamento aos domingos causou correria e tumulto nos estabelecimentos a partir do meio dia de sábado, 17, até o fechamento às 20h. No domingo, 18, quem enfrentou um grande movimento foi o segmento das padarias porque puderam funcionar. Não é hora de pensar em medidas que não estejam efetivamente testadas, já que a grande maioria tem acertado com um mesmo conjunto delas. 

Não há compensação no histórico do combate ao coronavírus e, em todo o mundo, o lockdown que deu certo foi sem exceções e dentro da realidade de cada país no socorro a quem não pode ficar em casa sob o ponto de vista econômico. No Brasil, a situação é muito mais drástica, sendo que a de Araxá só não está pior porque houve importantes ações da prefeitura como ampliação de leitos clínicos e UTI, esforço para a aquisição de vacinas, kit de intubação, medicamentos e testes, dentre outras. Recentemente, também foram aprovados pela Câmara a pedido do Executivo os programas Renda Básica que alcança 4 mil famílias em situação de vulnerabilidade social já em fase de licitação e o Alimentando Quem Precisa que permite a ampliação de concessão de cesta básica para famílias carentes.

Porém, se a população não cooperar, a situação em Araxá tende a se estabilizar no pico à medida que a vacinação avança lentamente, e atingindo os mais jovens. Os estabelecimentos comerciais como bares e restaurantes que estavam lotados no último fim de semana estão fazendo mal não só para o seu público, como para si mesmos. Todos concordam que é preciso trabalhar, mas desde que sejam cumpridas à risca as medidas preventivas para que tudo não piore ainda mais de novo. 




banner-clarim


LEIA MAIS

ca
Leia o Jornal Clarim - Edição 1.219 - 23 de abril de 2021

mor
Prefeitura comunica o falecimento do servidor Vicente Airton de Souza

ipva
MG prorroga para 1º de julho exigência do CRLV 2020

viru3
Covid-19: Araxá registra 30 casos e 39 recuperados em 24 horas

corda
Avó mantinha criança amarrada



Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia