Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
Funcionários desfalcavam empresa com uso de moto-niveladora em proveito próprio
30/04/2021, às 14:18:59
pc1

A Polícia Civil (PC) de Ibiá apreendeu uma máquina moto-niveladora e a restituiu à empresa proprietária na quinta-feira, 29. Os policiais desvendaram um esquema de corrupção entre funcionários de uma grande empresa da cidade. A PC deslocou-se até uma fazenda situada na zona rural de Pratinha para localizar um maquinário da marca CAT, modelo 120, avaliado em R$ 640 mil, que teria desaparecido de uma grande empresa de Araxá. Os funcionários dessa empresa realizaram uma auditoria na quarta-feira, 28, e constataram a falta de uma das máquinas. Então, em consulta aos arquivos internos constataram que a última autorização para a saída da moto-niveladora foi para prestação de serviços em uma mineradora no município de Araxá. A empresa proprietária verificou que já não estava em posse do bem há pelo menos dois meses e que a máquina neste intervalo ficou em local incerto e não autorizado. Em levantamentos e informações colhidas pela diretoria geral da empresa, os investigadores suspeitaram de que próprios funcionários poderiam ter se apropriado indevidamente da máquina e alugado para terceiros. 



Outra suspeita é a de que não foi declarado qualquer recebimento pelo aluguel e que este fato seja recorrente, com os suspeitos usando dos bens da empresa vítima para obterem vantagem econômica ilicitamente. A PC apurou que os valores pagos pelos locatários não eram creditados na contabilidade da empresa (Pessoa Jurídica de direito). Os investigadores levantaram que somente em Pratinha os autores lucrariam ilicitamente cerca de R$ 50 mil. Ainda não foi apurado o valor total que pode ter sido apropriado indevidamente pelos autores. Diante das evidências da prática de crime, a máquina foi apreendida em Ibiá e liberada para a empresa vítima. Até o momento, dois suspeitos foram identificados e poderão responder pelo crime de apropriação indébita qualificada, sendo que se condenados podem pegar uma pena de mais de 5 anos de prisão. O término das investigações está ao cargo da 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Araxá.



banner-clarim

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia