Notícias de Araxá e região!

Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm (1)
banner_pma
Fórum comunitário debate ações da Copasa em Araxá
10/04/2012, às 15:30:26

 

  A pedido da direção da Copasa o Fórum Comunitário desta segunda-feira, 9, teve como objetivo esclarecer as ações da empresa em Araxá. Durante a realização do fórum, cinco profissionais da Copasa, estiveram disponíveis para prestar esclarecimentos aos participantes, entre eles o diretor da região Sudoeste da Copasa, Paulo Fernando Lopes; o gerente operacional, Faissal Haddad e o gerente da divisão de Obras, João Batista. O Fórum contou também com a participação de vários presidentes de associações de bairros, lideranças classistas e com seis, dos 10 vereadores do município.
  Num primeiro momento o diretor Paulo Lopes explicou que a atuação da Copasa em Araxá, passou por várias intervenções nos últimos meses, destacando entre elas, as mudanças nos cargos de direção que têm como objetivo promover uma interação maior da empresa com a comunidade e a agilização do processo de construção das estruturas que viabilizam o funcionamento das Estações de Tratamentos de Esgotos (ETEs). De acordo com ele, as obras de construção das ETEs estiveram paradas por conta da tramitação no Ministério Público (MP) de um processo que busca identificar irregularidades durante a licitação das obras, por isso a Copasa solicitou ao MP autorização para dar continuidade aos trabalhos enquanto o processo tramita. A autorização foi concedida e a ETE central já está funcionando desde o dia 12 de novembro do ano passado.
  Ao longo de todo o Fórum todos os vereadores, assim como vários presidentes de associações de bairros, se manifestaram e levantaram questões relacionadas principalmente com as tarifas praticadas pela empresa e com a falta de infraestrutura de captação de esgotos em alguns pontos da cidade. De acordo com Paulo Lopes as tarifas praticadas pela Copasa estão dentro das planilhas permitidas e não vão aumentar bruscamente quando as ETEs entrarem em funcionamento, uma vez que os percentuais respeitam uma equação proporcional ao consumo de água. Quanto à falta de estruturas apropriadas para esgotos, os técnicos da empresa esclareceram caso a caso. Um deles, por exemplo, diz respeito à área que fica próxima ao Parque do Cristo, e segundo eles, o que ocorre lá é que a Secretaria de Desenvolvimento Urbano está corrigindo o terreno por conta das erosões, e quando estas obras estiverem concluídas, a Copasa iniciará as obras de construção da rede de esgotos.
  Outras questões levantadas dizem respeito à preservação ambiental, tais como nascentes e matinhas urbanas, ao que Paulo Lopes afirmou que as práticas ambientais fazem parte do elenco de missões da empresa, mas estas ações devem ocorrer no formato de parcerias, ou seja, a Copasa sozinha, não é responsável pela preservação do meio ambiente. O diretor sugeriu que a comunidade se mobilize no sentido de unir o poder público em todas as suas esferas, as associações de bairros, escolas, enfim, todas as instâncias, para juntas definirem as ações mais apropriadas para a preservação ambiental.
  Para o presidente da Câmara Municipal de Araxá, Carlos Roberto Rosa, a temática deste Fórum Comunitário foi muito positiva e esclareceu várias questões que preocupavam a população, principalmente no que diz respeito à possibilidade de contaminação das águas do Barreiro. Quando questionado sobre este assunto, o diretor Paulo Fernando Lopes lembrou que aquelas águas não estão contaminadas e estão sendo tratadas de acordo com as normas de segurança para o consumo.

 

 

 




Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia