Notícias de Araxá e região!

Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm (1)
banner_pma
CBMM apresenta seu programa de exploração das terras-raras
23/05/2012, às 08:15:30

 

   Dentre mais de 400 projetos para exploração de terras-raras no mundo, a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) mais uma vez é pioneira em desenvolvimento de tecnologia. O grupo já está agregando valor aos metais de terras raras que estão no rejeito da sua mineração de nióbio explorado em Araxá. Der acordo com o diretor Geral da CBMM, Tadeu Carneiro, a reserva de terras raras do município é ótima, com fração média de 7% nos diferentes locais da mina que é explorada em conjunto com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig).
    
   “A CBMM deu um grande pulo de gato ao conseguir concentrar as terras raras depois que obtém o rejeito que vai pra barragem”, disse o diretor que explanou não só sobre esse novo programa da companhia, como também da sua estratégia como um todo. Segundo ele, as terras raras é um subproduto da operação do nióbio. “Não muda nada, não precisa ter etapa exclusiva só para terras raras, não existe custo de mineração, esta é a grande vantagem competitiva da empresa quando o negócio crescer”, disse o diretor. Tadeu informou que a companhia já tem mercado para dois produtos já obtidos a partir da concentração de óxidos de terras raras. Ele acrescentou que a empresa ainda não tem capacidade de produção enorme, mas já investiu R$ 50 milhões nesta primeira etapa do programa diante das perspectiva. “Sem tratar como negócio, pois o DNA da CBMM é recuperar terras raras do nióbio.”
    
   O diretor falou para cerca de quatrocentas pessoas, durante jantar realizado nesta terça-feira, 22, no Salão Minas Gerais do Tauá Grande Hotel do Barreiro. Dentre os presentes, estavam os representantes da CBMM, da Codemig, dos três poderes públicos municipais e de vários segmentos da cidade, além de fornecedores, prestadores de serviços e parceiros. Tadeu mencionou o orgulho da companhia em mais uma vez sair na frente no cenário da economia mundial graças ao empenho dos seus 1.816 colaboradores. “A notícia de hoje é o avanço tecnológico que nenhuma outra companhia conseguiu até aqui, converter a esses teores para produzir a partir das terras raras”, afirmou Tadeu. A expectativa é a de que Araxá mais uma vez ganhe muito com essa evolução da CBMM.


> Leia mais sobre terras raras, na edição impressa do Clarim que circula nesta sexta-feira, 25.

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia