Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm
banner_pma]  
PR/PP lança Aracely para prefeito e Lídia como vice com o apoio de mais doze partidos
02/07/2012, às 19:17:20

 

   A convenção do PP definiu a vereadora Lídia Jordão como candidata a vice-prefeita na chapa majoritária que tem o deputado federal Aracely de Paula (PR) como candidato a prefeito. A coligação majoritária já denominada “Unidos Nós Podemos” conta com mais doze partidos além do PR e PP, sendo o PMDB, DEM, PTdoB, PRB, PV, PPS, PSD, PRP, PTC, PHS, PCdoB e PSL. Os quatorze partidos que estão juntos na disputa majoritária, se dividiram em quatro coligações proporcionais menores para a disputa das vagas a vereador.

   As coligações proporcionais desse grupo são Araxá Mais Verde (PRB, PV e PPS), Democracia e Progresso (DEM e PP), Unidos por Araxá (PMDB e PR) e Projeto Vitória (PTdoB, PRP, PHS, PCdoB e PSL). A convenção do PP aconteceu na sexta-feira, 29, a partir das 18h, com o West Sallon lotado pelo público presente, dentre eles, também os vários representantes dos partidos coligados.

   Inicialmente, houve uma discussão levantada pelo vereador Carlos Roberto Rosa (PP) que também era pré-candidato a vice-prefeito pelo partido. Segundo ele, a indicação de Lídia na chapa ocorreu sem a sua participação e antes da convenção do partido, como ficou claro em notícias veiculadas antecipadamente pela imprensa. Ele também questionou o fato da convencional que é um dos membros do diretório com direito a voto ter assinado o livro de ata e ido embora antes da votação das chapas, a educadora Marlene Borges Pereira, ex-secretária de Educação. “Eu lamento, desta forma, o partido não está sendo democrático”, disse. O presidente do PP, Benedito Gonzaga Teixeira, esclareceu em seguida que Marlene já tinha lhe dito que participaria apenas do início da convenção, porque teria que ir embora às 19h, para acompanhar o seu marido, o ex-prefeito Kleber Pereira Valeriano, num tratamento espiritual, no complexo do Barreiro.

   Como pelo estatuto do PP, somente têm direito ao voto os membros da Executiva e os vereadores do partido - que no caso valem por dois -, Roberto pediu na convenção que também votassem os representantes dos partidos coligados. Benedito indeferiu o pedido por “falta de amparo legal”. Em seguida, a representante do PP Mulher de Minas Gerais, Cláudia Campolina, que estava na convenção como representante do vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP), se apresentou para os presentes e pediu para que fosse seguido o estatuto do partido. “Vocês vão começar três meses de luta, não podem começar antes disto”, disse. O PP aprovou por 4 votos a dois, a indicação de Lídia como vice e a formação da coligação proporcional Democracia e Progresso (PP/DEM), pela qual Roberto acabou sendo candidato a vereador.

Candidata à vice-prefeita
   A vereadora Lídia não se pronunciou no decorrer da discussão entre o presidente do PP e o vereador Roberto Rosa. Depois de oficializada a sua candidatura a vice-prefeita, ela falou ao público presente, mas com a voz embargada chegou a chorar e, em seguida, rapidamente encerrou o seu discurso que segue abaixo na íntegra.

   “Boa noite a todos que aqui se fazem presentes, gostaria de agradecer em especial a presença de cada um que hoje destinou o seu tempo para estar aqui conosco e o faço através dos meus pais, Jordão e Ana, que estão aqui conosco. Eu gostaria de agradecer toda a comissão provisória e o faço através do vereador Carlos Roberto Rosa, nosso companheiro, presidente da Câmara Municipal de Araxá. Eu gostaria de dizer a cada um dos membros da comissão provisória que eu agradeço a compreensão pelo meu nome. Agradeço a forma como puderam designar a minha pessoa para figurar na chapa majoritária e gostaria de dizer que podem contar comigo, inclusive todos os partidos coligados. Essa maravilha de partidos que estão aqui conosco e que refletem exatamente a democracia, a importância que é estarmos unidos neste momento. Agradeço a Cláudia Campolina, presidente do PP Mulher que se deslocou de Belo Horizonte para nos proporcionar amanhã (dia 30), um encontro de todas as lideranças partidárias da cidade de Araxá, não só as do Partido Progressista (PP), mas sobretudo a de todos os partidos que estão junto conosco nessa caminhada. Ela se deslocou de lá para estar aqui conosco, meu agradecimento sincero. Leva ao nosso presidente, nosso vice-governador Dr. Alberto (Pinto Coelho), o nosso abraço, o nosso carinho especial. Quero dizer a vocês que gostaria muito de colocar a minha fala, mas sinceramente, hoje, eu não consigo falar mais do que duas palavras a cada um de vocês. Muito obrigado, do fundo do meu coração, e tenham certeza que eu vou trabalhar muito por essa cidade que eu amo, que é a minha casa, que aqui eu vivo com muito amor junto da minha família. Obrigado ao meu marido e ao meu filho, desculpem por essa dificuldade que nós vamos passar agora durante todos esses três meses, mas eu tenho certeza que é pro bem da nossa gente. Muito obrigada.”

PP
   Para Benedito, o impasse na convenção foi uma demonstração do exercício de democracia. “Com dois candidatos de peso a vice-prefeito democraticamente foi solucionado, não só democraticamente, mas à luz dos estatutos dos partidos. E nós esperamos que com essa coligação com o deputado federal a prefeito, nosso querido Aracely de Paula, na verdade muito trabalho nestes próximos três meses. No sentido de que a gente estará fazendo um bom trabalho para viabilizar a candidatura do deputado à próxima direção do município”, disse. Ele acrescentou que as grandes lideranças convergiram para o nome de Aracely. “Inclusive, o prefeito atual, Dr. Jeová, sempre falou e, por muito tempo, da vontade dele inclusive abrir mão para o deputado, o que demonstra a importância da candidatura do deputado”, afirma o presidente do PP.

   “Então, essas pessoas abriram mão em nome dessa liderança cogitada por todo mundo. O ex-prefeito Antônio Leonardo abriu mão, o Bosco também que teria todo o direito de vir pleitear, o deputado federal João Bittar também dando respaldo como o comandante do DEM, o deputado Marcos Montes (DEM) também e outras grandes lideranças aqui locais, que todos convergiram para possibilitar essa grande aliança. E nós vamos fazer todo o possível para que tenha sucesso e quem vai sair ganhando com isso não são as pessoas que vão ser eleitas, na verdade, nos interessa é o resultado final, que a vida das pessoas que vivem na cidade seja melhor do que tá”, diz Benedito.

PR
   Aracely diz que sai candidato a prefeito de Araxá com muito otimismo. “Embalado principalmente, pelo apoio que eu tenho recebido das diversas camadas da população de Araxá, consciente que nós estamos vivendo o alvorecer de um novo momento na nossa cidade e que depende muito da união de todos os araxaenses, principalmente, da experiência que nós acumulamos ao longo dos anos.” Segundo ele, a possível volta à prefeitura é um sacrifício de sua parte. “Porque depois de uma caminhada tão longa, recuar alguns passos representa realmente alguma doação. Mas recuar para que a cidade possa avançar, para nós é um estímulo muito grande. Eu tenho certeza de que realmente estamos sendo convocados para uma jornada que, se Deus quiser será vitoriosa, em função principalmente dos ideais maiores de Araxá”, explica.

   Para Aracely, PR e PP foram uma boa composição. “A Lídia é uma pessoa pela qual eu tenho um grande respeito, que representa um segmento da sociedade com muita competência, disposição e muita luta, ela compõe bem a nossa chapa. Nós tínhamos outros companheiros também que poderiam estar nessa chapa, mas entendemos que as coisas estão acontecendo com muita naturalidade e ter hoje a indicação da Dra. Lídia como componente da nossa chapa, não tenha dúvidas, que eu me sinto muito honrado e satisfeito, recompensado, porque eu acho que é uma caminhada que faremos juntos, não apenas eu, a Lídia, mas todos aqueles que acreditam num projeto maior que nós nos desposemos a encetar a favor de Araxá. Então, eu fico muito feliz, acho que todos os problemas que nós tivemos para chegar numa candidatura ideal, foram bons problemas, porque nós tínhamos ótimos candidatos. Uma depuração quase que natural, a coisa fluiu muito mais da vontade da nossa população do que de qualquer interferência nossa.”

   Segundo ele, a saúde “vai mal em Araxá, em Minas Gerais e no Brasil”, sendo o mote da sua campanha. “Ninguém tem culpa pelo caos da saúde, mas todos nós que militamos na vida pública temos uma responsabilidade maior, até por isto”, diz.

PTdoB
   O deputado Bosco que preside o PTdoB em Araxá, é uma das lideranças políticas que apoia a chapa majoritária PR/PP e diz que quer participar de forma integral da campanha. “Estamos aí, lançando uma excelente chapa de vereadores para a Câmara Municipal, com a composição na proporcional do PTdoB, PHS, o PRP, PSL e o PCdoB.” Segundo ele, a coligação lança chapa completa de vereadores, ou seja, trinta candidatos, sendo 21 homens e nove mulheres. “Diga-se de passagem, excelente chapa que eu acredito que nós teremos condições de conquistar boas cadeiras, um número bom na Câmara Municipal. E esse grupo também está motivado em apoiar a chapa majoritária encabeçada pelo deputado federal Aracely de Paula e a candidata a vice-prefeita Lídia Jordão. Nós entendemos que essa chapa hoje, juntamente com os apoios já consolidados, representa uma boa composição, com uma grande experiência tanto de lideranças de poderes Executivo e Legislativo que poderão com certeza desempenhar um grande projeto em prol de Araxá”, afirma.

Fechamento
   O deputado estadual Bosco explica que houve uma reunião há uns dois meses, com a sua presença, do ex-prefeito Antônio Leonardo Lemos Oliveira (PP), do deputado Aracely e de alguns empresários, que acabou dando início à formação da atual composição. “Naquele momento, nessa reunião que contou com várias pessoas, foi lançada essa ideia de se construir aí um grande projeto político para Araxá, para os próximos quatro anos. E foi colocado lá, em aberto, o nome. Então, o Antônio Leonardo foi consultado para que pudesse ser o candidato deste grupo. Ele por vários motivos colocados lá no momento, não se dispôs. Eu também fui consultado pelo grupo, inclusive houve uma grande insistência para que eu pudesse colocar o meu nome, mas eu entedendo que o momento nosso agora como deputado estadual é de tamanha importância para Araxá e região, não poderia deixar essa cadeira que nós levamos tantos anos sem representatividade e recuperamos agora, nos não podemos sair. Então, o único lá nessa reunião que colocou-se à disposição entre todos, foi o deputado Aracely de Paula”, informa.

   Segundo ele, a definição foi democrática dentro desse grupo político. “De lá para cá, o grupo começou a fazer esse trabalho de construção que foi agora referendado dentro dos partidos que já compõem essa grande coligação”, afirma Bosco.

   Antônio Leonardo diz que desde o começo das conversações com o deputado Aracely, o PP foi convidado a participar dessas discussões. “E culminou agora, com a composição da chapa majoritária com a indicação da vereadora Lídia. Dentro do que nós entendemos que através da candidatura pode ser também mais uma boa opção para a nossa cidade.” Segundo ele, desde quando decidiu não se candidatar, conversou com todos os pré-concorrentes. “Com todos eles, tivemos conversas frutíferas e culminou com a conversa final com o deputado Aracely, onde também o Bosco participou e, de certa forma, o resultado final foi esse.”

   Ele afirma que foi muito difícil a decisão de não ser candidato a prefeito neste pleito. “Existem às vezes motivos para você ser candidato e para não ser, e dentro de uma avaliação pessoal, profissional, eu achei que não era o momento de me lançar candidato a prefeito. Talvez tenha sido a decisão mais difícil da minha vida, porque não ser é mais difícil que ser”, diz Antônio Leonardo.

 

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia