Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm
banner_pma]  
Decretada prisão por 30 dias dos suspeitos da morte de Túlio Maneira
05/07/2012, às 11:45:11

 

   A Polícia Civil (PC) de Araxá prendeu, está interrogando e mantendo sob custódia, três suspeitos de envolvimento no assassinato de Túlio Maneira. Os três foram presos na manhã desta quarta-feira, 4, por volta das 7h30 da manhã e enquanto não houverem mais provas, ou alguma confissão, seus nomes não serão revelados. A PC informou apenas que trata-se de um homem e duas mulheres, sendo que uma é irmã do suspeito e a outra é sua namorada. “As duas mulheres estão sob custódia da PC por força de prisão temporária e também, a princípio por dissimulação de provas. Dentro desse período (de investigações) foi verificado que elas estavam acobertando esse principal suspeito. E estavam tentando dissimular provas. Isso é o que nós estamos tentando levantar agora para saber se elas tiveram participação no crime ou simplesmente estão tentando dissimular essas provas”, explicou o investigador Mauro da Silveira Chaves.

   Por ser um crime de homicídio de forma qualificada, foi decretada a prisão dos três por 30 dias, prazo este, que pode ser prorrogado por mais 30 dias. Mauro da Silveira Chaves informou também que “pelas características encontradas no local do crime, a gente já vislumbra qual teria sido a motivação do delito. Nesse caso específico, pelos requintes de crueldade, o número de disparos de arma e a própria forma de execução, tende-se a dizer que pode ter eventualmente ocorrido um crime passional ou vingança. A gente tem que trabalhar com todas as hipóteses porque pode ser que no curso de uma investigação, a gente encontre surpresas que naquele primeiro momento, não fazia sentido, mas que depois acabou aflorando e deparando com a outra motivação”, informa o investigador.

   Mauro lembra também que “evidentemente por tratar-se de um crime complexo, de investigação ampla, e por conta desse decurso de tempo que já transcorreu desde o dia do crime até hoje, mostra o grau de dificuldade pra gente encontrar e levantar mais provas contra os verdadeiros autores. Então essa prisão é justamente para isso, através dela podemos falar que esta é a segunda fase dessa investigação. A primeira foi composta por todos os levantamentos e agora é a complementação desses, justamente para chegar no outro momento, que é realmente identificar quem efetivamente participou dessa empreitada criminosa”, esclarece Mauro.

   Os interrogatórios continuarão sendo realizados nos próximos dias e de acordo com o delegado regional da PC em Araxá, Heli Andrade, “a nossa decisão de não apresentar nada por enquanto, nem o principal suspeito, é para não prejudicar as investigações que vão continuar até o dia que for necessário. As pessoas que estão presas, estão com pedido de prisão temporária de 30 dias, decretado, mas a qualquer momento o caso pode ser esclarecido, um pode ir embora, ou dois podem ir embora, ou até três pode ir embora”, afirma o delegado.

   Heli Andrade informou também que tem certeza que o carro que foi usado pelo assassino no dia do crime, foi o carro do suspeito que está preso. “Então, a pessoa tem que esclarecer: quem é que estava no carro, era ele ou outra pessoa? É isso que nós estamos tentando esclarecer, como ele não quer falar, ele continua afirmando que não, nós temos que trabalhar um pouco mais. Nós temos hoje, quase que uma totalidade de 100%, que o que nos deu o caminho, foi o carro usado no crime”, disse o delegado.

   O crime aconteceu por volta das 23h do dia 25 de fevereiro, na garagem da residência da vítima que fica na rua Franklin de Castro, Centro. De acordo com o Boletim de Ocorrência da Polícia Militar, ele foi atingido primeiro nas costas ao tentar abrir a porta de casa depois de guardar o carro na garagem. Ao chegar em casa, por volta de 1h de domingo, 26, o irmão da vítima encontrou o corpo caído no alpendre ao chegar em casa e chamou a Polícia Militar (PM) e o Corpo de bombeiros. O Corpo de Bombeiros Militar verificou imediatamente que Túlio já estava sem vida. A perícia foi acionada e constatou que havia várias perfurações no corpo provocadas por disparos de arma de fogo, provavelmente oriundos de revólver calibre 38. E também havia três disparos de arma de fogo na porta da sala da residência.

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia