Notícias de Araxá e região!

Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
pma
cabmm
PAM deve permanecer na Santa Casa até a construção da sede própria
07/06/2013, às 07:35:43

A secretária municipal de Saúde, Edna Castro, explica que está sendo revista a decisão de transferir de imediato o Pronto Atendimento Municipal (PAM) da Santa Casa de Misericórdia de Araxá para a Unisa ou a Unicen-tro que ainda está em construção. Segundo ela, em reunião realizada esta semana com representantes da Superintendência Regional de Saúde pediu um prazo para que o PAM pudesse ser transferido para um local definitivo, a ser construído o mais rápido possível pela administração municipal.

Edna explica que numa primeira reunião realizada com representantes da Regional de Saúde e do Ministério Público, no último dia 22, foi decidido que o PAM deveria deixar de funcionar junto à Santa Casa que é uma prestadora de serviços para o município. “O que é necessário para facilitar a negociação com o prestador de serviços, porque o município enquanto gestor tem o papel de cobrar eficiência e resultado de todo mundo”, diz. Ela acrescenta que na ocasião foi levantada a possibilidade de transferi-lo o mais rápido possível para a Unisa que está situada no bairro São Geraldo, no setor Oeste, ou para a Unicentro que está sendo construída na av. Wilson Borges, próximo ao Corpo de Bombeiros. No entanto, de acordo com a secretária, em novo encontro realizado com o pessoal da superintendência a administração municipal pediu um prazo para que pudesse transferir o PAM de forma definitiva e adequada.

Segundo ela, a Unicentro já está referenciada como unidade de saúde tipo 3 e não pode ser modificada para receber o PAM devido a este credenciamento. Ela acrescenta que a Unisa é uma importante unidade de saúde dentro da rede e a sua localização não é apropriada para o funcionamento do PAM. “Estamos em discussão, de forma que possamos ter mais um tempo para construir o PAM, com toda a estrutura adequada para o seu funcionamento”, informa. Ela explica que essa estrutura não é complexa, conforme os moldes exigidos pela legislação federal, sendo necessários oito cômodos e, três destes, devem funcionar como salas de estabilização.  “O custo é até menor para construirmos adequadamente o PAM do que transferi-lo de forma improvisada e podemos fazer isto numa área central para facilitar esse acesso”, diz. Edna afirma que até a conclusão da sede o PAM continuaria a funcionar na Santa Casa, com todos os equipamentos exigidos para atender plenamente a população.

“O prefeito (Jeová Moreira da Costa) entende que o PAM não pode mais funcionar na Santa Casa, porque é uma prestadora de serviços e deve ser cobrada por isto. Mas depois da última reunião, todos nós entendemos as dificuldades que não são só nossas, mas de todo o país, para prestar um atendimento adequado à população na área da saúde. Então, estamos conversando para ter mais esse prazo e resolver tudo o mais rápido possível. O mais importante é retomarmos o diálogo com todo mundo da rede, inclusive os profissionais que são fundamentais para oferecermos um bom atendimento”, afirma. Edna adianta que já está em estudo a possibilidade de construir o PAM numa área situada nos fundos do Instituto Médico Legal (IML), próxima ao Corpo de Bombeiros.

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia