Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm_banner
980x150
Duas mortes por afogamento
17/03/2014, às 16:43:22

 

O Instituto Médico Legal (IML) de Araxá atendeu duas ocorrências de morte por afogamento no último domingo, 16, na divisa de Minas Gerais com São Paulo. Numa delas, a mãe e a filha de 14 anos caíram na represa da usina Marechal Mascarenhas (conhecida como Usina dos Peixoto), situada em Ibiraci (MG).

O pessoal do IML de Araxá chegou ao local por volta das 21h de domingo, 16, onde as testemunhas relataram que as duas estavam na beira da represa e escorregaram nas pedras, caindo dentro d’água. As pessoas que estavam no local conseguiram puxar a mãe que foi socorrida com vida e encaminhada em estado grave para o pronto socorro de Franca (SP). No entanto, a adolescente LFG não sabia nadar e morreu afogada na represa. A família reside em Franca e estava no local a passeio, as duas vítima, o pai e mais quatro filhos. O corpo da adolescente teve que ser encaminhado para o IML de Araxá.

O coordenador do IML de Araxá, Hudson Fiúza, parou em um posto da Polícia Rodoviária do Estado de São Paulo às 22h15, acompanhado pelo tio da adolescente que é policial militar em São Paulo. Ele tentou levar o corpo da sobrinha para o IML de Franca para a realização da necropsia, porém não foi possível, porque de acordo com a legislação a autopsia deve ser realizada na área responsável. Então, o corpo foi encaminhado ao IML de Araxá que é responsável pelo atendimento na área de Ibiraci.

Em seguida, às 23h, Hudson Fiúza e a técnica em enfermagem do IML de Araxá, Jô, se deslocaram do posto da Polícia Rodoviária de São Paulo até o pronto atendimento de Rifania, onde estava o corpo de JPS. De acordo com os familiares dele, JPS teria se afogado na manhã daquele domingo,16, num rancho situado no município de Sacramento. Segundo eles, a vítima disse para uma criança que também estava no rancho que iria num lugar fazer uma coisa que ela não poderia ver. Após alguns minutos, os familiares de JPS foram ao local informado por ele à criança e encontraram o corpo dele dentro da represa, já sem movimentos.

Os familiares de imediato tentaram socorrer a vítima, transportando-a para o pronto atendimento municipal de Rifania, porém ele já estava morto ao chegarem ao hospital.
O corpo de JPS também foi encaminhado para o IML de Araxá, onde foi necropsiado e em seguida liberado aos familiares para o velório e sepultamento. Para fazer esses dois atendimentos, o IML de Araxá percorreu mais 400 quilômetros, porque é responsável por doze municípios da região num raio de 150 quilômetros, com uma malha rodoviária de 750 quilômetros de estradas estaduais e federais. Todo esse trabalho na grande maioria das vezes é executado pelo coordenador Hudson e a técnica de enfermagem Jô.

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia