Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm_banner
980x150
Miguel tranquiliza comissionados antes de assumir a prefeitura
13/05/2014, às 17:15:40

 

O presidente da Câmara Municipal, vereador Miguel Alves Ferreira Júnior, tranquilizou o pessoal comissionado da Prefeitura de Araxá que lotou o plenário da Câmara Municipal durante a reunião ordinária desta terça-feira, 13. Segundo ele, como prefeito interino a partir desta quarta-feira, 14, apenas dará andamento às ações fundamentais no atendimento à população, como na saúde, educação, segurança e limpeza pública. “Enfim, vamos manter o fundamental. Não vou fazer obras, licitações, nada disso, porque não me compete agora. Eu estarei como prefeito num caráter transitório e com a responsabilidade de não deixar a cidade parar.”

Segundo ele, o líder do governo municipal na Câmara, vereador Carlos Alberto Ferreira (Cachoeira/PDT), convocou o pessoal presente na reunião. “Ele me procurou um pouco antes da reunião, dizendo que havia feito essa mobilização porque queria dar uma satisfação aos servidores. Houve a publicação do acórdão e o prefeito (Jeová Moreira da Costa) viajou e não houve comunicação com os servidores, então, no papel de líder, ele queria fazer isto na Câmara Municipal. Eu aproveitei a oportunidade para dar uma satisfação às pessoas sobre como a gente deve ocupar interinamente o cargo. Eu não tenho interesse e intenção nenhuma de nesses poucos dias exonerar, perseguir pessoas. Eu estarei fazendo o que a lei preconiza que é na vacância assumir, contando com a colaboração dessas pessoas que já têm experiência para tocar esses dias até ver o resultado do que vai acontecer e dar posse ao novo prefeito se for o caso. Enfim, vamos fazer o que a Justiça Eleitoral nos pede nesse momento”, diz.

Miguel explica que de acordo com o Regimento Interno e a Lei Orgânica Municipal, a partir de 15 dias de vacância de um vereador é que se chama o suplente, antes disto, não há necessidade. “Nós vamos aguardar, porque eu acredito que é um processo célere, que será julgado com muita brevidade.” Ele acrescenta que durante a sua ausência, o vereador Amilton Moreira que é o vice-presidente dará andamento normal aos trabalhos da Câmara. “Vamos fazer o que sempre fizemos, legislar e trabalhar. Nessa vacância, por alguns dias ocupamos a prefeitura, o que para mim não é surpresa, porque nos outros mandatos como vice-prefeito eu tive a oportunidade de ocupar o cargo, o que não me envaidece, não me intimida e não me assusta, porque eu sei que ali é uma dinâmica, não precisa inventar muita coisa, ainda mais numa interinidade.” Segundo ele, tratará as demandas que surgirem durante esse período com a verdade. “Aquilo que estiver ao alcance fazer, vamos fazer. O que não tiver, vamos dizer claramente que não temos condições de fazer. Não vou inventar, criar despesas que não estão previstas dentro do planejamento, vou fazer aquilo que o bom senso manda. Não vou deixar de acatar nenhuma determinação judicial se tiver nesse período e vou procurar manter a máquina funcionando,como foi quando eu assumi nos governos do Toninho (Antônio Leonardo Lemos Oliveira) e do Jeová, não tem segredo.”

Até o início da tarde desta terça-feira, 13, Miguel ainda não tinha sido notificado pela Justiça Eleitoral. “Para nós, não chegou nada, nem mesmo a minha intimação. Então, na verdade é tudo especulação, de toda ordem, formalmente não fomos informados de nada ainda. É um rito, se o prefeito for notificado hoje, amanhã automaticamente a gente assume. Eu sei que ele está voltando de Belo Horizonte, conforme informou o líder do governo na tribuna da Câmara. Com certeza, os recursos vão estar sendo analisados no TRE, TSE e não nos compete se serão acatados ou não, estaremos como prefeito no tempo que a Justiça determinar”, ressalta.

Ele informa que poucas pessoas vão acompanhá-lo na prefeitura durante a interinidade. “Eu vou levar comigo umas pessoas que são fundamentais, não que eu não acredite na competência das pessoas que lá estão, muito pelo contrário, mas eu tenho uma equipe que conhece a forma da gente trabalhar. Como o Eriberto, por exemplo, que tem uma vasta experiência tanto na Câmara, como na prefeitura onde foi assessor por mais de 12 anos, o Alcameno, a Anette, o Dr. Eduardo que é advogado também nos acompanhará e o Cacá que deve ficar no Gabinete comigo nesses dias. Uma equipe pequenininha, só mesmo para dar um suporte àquelas pessoas que vão nos procurar, para ficar mais fácil o trato com elas. O resto é a turma mesmo que lá está que vai tocar a máquina”, diz.

 

 

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia