Notícias de Araxá e região!

Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm (1)
banner_pma
EDITORIAL - Força motriz
24/02/2015, às 07:06:27

O Poder Legislativo em todos os níveis de governo chega ao ápice do descrédito, do mau exemplo, da injustiça, mas não pode ser acusado de destoar-se da realidade de quem representa. Os demais poderes não estão isentos, mas os holofotes estão voltados àqueles que espelham o conjunto da sociedade brasileira e, como seus representantes, ainda defendem os privilégios, os preconceitos, a impunidade e, sempre que for preciso, a omissão. Os senadores, deputados federais e estaduais e, ainda mais de perto os vereadores, são o melhor retrato do conjunto das escolhas feitas por nós eleitores.

 

Enquanto a maioria deles não estiver disposta a mudar as leis que estão ultrapassadas, que não são cumpridas, que existem para favorecê-los e aos que os mantêm no poder, que não asseguram uma distribuição justa das riquezas e, pelo contrário, penalizam os mais fracos dessas relações sociais, pode até haver alternância em decorrência da vontade deles, mas não haverá mudanças no poder.

 

Os parlamentos reforçam o sistema político-eleitoral do país, de tal forma que mesmo com a crescente insatisfação do eleitorado em relação a quem ocupa os cargos eletivos é muito difícil que sejam renovados. Afinal, quem está no poder tem todo um aparato a seu favor, recursos financeiros e outros para manter o seu eleitor cativo. A forma de sedução é diferente, mas está presente em todas as classes sociais, aos mais ricos e poderosos são pagas as propinas bilionárias, aos mais ambiciosos são dadas as chances de ascensão na carreira, aos mais necessitados direitos básicos como a moradia. Tudo é calculado para que nada esteja fora do controle, nem mesmo se forem outros governantes.

 

O maior partido do país, não poderia deixar de ser também o principal líder desse esquema, o PMDB. É só observar o que tem ocorrido na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e, porque não na Câmara Municipal de Araxá, já que todos estão sob o comando do PMDB. Não é à toa que o PDMB seja considerado a maior expressão partidária do fisiologismo, que é a prática de políticos e funcionários públicos, dentre outros, caracterizada pela busca de ganhos ou vantagens pessoais. Não quer dizer que os demais partidos não o sejam, mas como está na crista, o PDMB tem sido o maior exemplo, afinal não só elege o maior número de parlamentares no país, como os derruba quando vê o seu espaço ameaçado. Assim, usufruiu do governo tucano para depois ajudar a eleger o petista. E mais recentemente, da mesma forma que reelegeu, agora trama o impedimento do governo petista. Em Minas Gerais, também ajudou a derrotar os tucanos, tem voz ativa no governo estadual e ainda comanda a ALMG, onde os primeiros atos foram o de retomar benesses concedidas aos deputados estaduais num claro retrocesso.

 

Em Araxá, o PMDB apoiou a eleição do ex-prefeito. Depois, tornou-se o seu mais forte opositor político e foi o fiel da balança na eleição do atual prefeito. Na Câmara Municipal, elegeu e reelegeu o atual presidente da primeira legislatura com quinze ao invés dos dez vereadores anteriores. Na prática, a reforma administrativa recomendada pelo Ministério Público (MP) impôs limites, mas não deixou de beneficiar os próprios vereadores. No decorrer da transição atípica no governo municipal, o partido teve e ainda tem papel preponderante. E já se articula na corrida pela Prefeitura de Araxá em 2016, como faz nas demais esferas de poder, se não para ser protagonista, pelo menos para estar ao lado do vencedor.

 

A culpa não é somente do PMDB, embora personifique muito bem a política brasileira. Os demais partidos inclusive os ditos de oposição podem não ter a mesma penetração, mas trabalham com semelhantes propósitos. A única esperança no estabelecimento de uma nova política no país é o voto, pois podem até conseguir derrubar o governo federal mediante tanta espoliação e manipulação, mas alternância não significa efetiva mudança. Pelo menos, tudo de errado nesse sistema está mais a olhos vistos e o eleitor anda cada vez mais penalizado, o que pode despertar a sua consciência como a força motriz dessa engrenagem. 

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia