Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu

Digite pelo menos 2 caracteres!
cbmm
banner_pma]  
Acusada de homicídio é condenada a 6 anos de prisão
10/06/2015, às 07:40:09

 

Aparecida de Fátima Dias, 41 anos, acusada de ter matado com uma facada Alessandro José dos Santos, 38, por motivo fútil foi condenada a 6 anos de prisão. O julgamento do crime ocorrido em 17 de outubro de 2010, numa residência localizada na rua Pará, bairro Leblon, aconteceu nesta terça-feira, 9. A semana de júris populares, comandados pelo juiz de Direito da  Vara Criminal da Comarca de Araxá, Renato Zouain Zupo, começou nesta segunda-feira, 8, e encerra-se nesta sexta-feira, 12. Estão sendo julgados crimes de homicídios ocorridos na cidade em 2012 e 2013.

A acusada disse que estava dentro de uma residência fazendo uso de bebida alcoólica com a vítima, quando eles se desentenderam e Alessandro tentou agredi-la e, para se defender, pegou uma faca e desferiu um golpe que atingiu a região abdominal dele, de acordo com os autos do processo. O advogado de defesa da ré, José Gaudêncio Rocha da Cunha, alegou que ela agiu em legítima defesa, ou seja, o crime foi de lesão corporal seguida de morte, sendo que já tinha sido agredida por Alessandro noutras ocasiões. Segundo ele, a sua cliente enfrentava várias dificuldades financeiras e emocionais à época e, por amar a vítima, não pretendia matá-la.

O promotor de Justiça, Fábio Soares Valera, manteve a acusação de que Aparecida agiu com a intenção de matar e retirou a qualificadora de forma fútil, pedindo aos jurados uma pena de 6 a 20 anos para a acusada. Após os trabalhos da acusação e da defesa, o juiz reuniu-se em sala secreta com os jurados e, em seguida, leu a sentença. Aparecida foi condenada a 6 anos de reclusão pelo crime de homicídio simples, porém como já cumpriu um ano e oito meses e tem bom comportamento dentro do presídio, será beneficiada pelo regime de semiaberto.

Outro crime
Nesta quarta-feira, 10, a partir das 8h, o júri volta a se reunir para julgar o réu Jardel de Jesus da Mota Pinho por ter matado André Lopes da Silva, conhecido como “Baianinho da Carrocinha”. Após um desentendimento entre eles, a vítima foi morta com disparos de arma de fogo, nas imediações da rodoviária de Araxá.

Compartilhar no WhatsApp
Clarim
Radix Tecnologia